AO VIVO
Menu
Busca quinta, 16 de setembro de 2021
Busca
Natal
30ºmax
23ºmin
Correios Celular - Mobile
Saúde

Outros quatro casos da variante delta são confirmados na região de Curitiba        

A capital também entra na lista de cidades com identificação de casos da variante Delta

20 julho 2021 - 16h07Por Elisângela Silva Bispo Lima

O governo do Paraná segue em alerta total. No sábado (17) foi confirmado um novo caso da variante Delta na Região Metropolitana de Curitiba e no final da tarde desta segunda-feira (19),  a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) anunciou a confirmação de mais quatro casos da variante no Paraná.

Todos os infectados estão na área atendida pela 2ª Regional de Saúde, que abrange a Região Metropolitana de Curitiba, que agora faz parte da lista de nove cidades com casos já confirmados: Francisco Beltrão, São José dos Pinhais, Apucarana (onde foram registrados os primeiros casos), Rolândia e Mandaguari. Curitiba, Araucária, Piên e Piraquara, entram agora na relação.

Para tranquilidade da população, o Ministério da Saúde ainda não considera os casos como sendo de transmissão comunitária. Para que isso seja confirmado ou descartado, a Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa) aguarda o resultado de exames que seguem em investigação.

Saiba mais - Novo caso da variante Delta é identificado na região metropolitana de Curitiba

O Paraná já contabiliza 13 casos confirmados da variante delta, com seis mortes. O sequenciamento genômico da variante é realizado pelo Laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro. 

A faixa etária dos infectados com a variante Delta é bastante ampla: um homem de 78 anos, de Araucária - óbito em 30 de junho; um homem de 64 anos, de Piên - óbito em 11 de julho; uma mulher gestante de 24 anos, de Curitiba - se recuperou da doença; e um adolescente de 13 anos, de Piraquara – não precisou de internação.  

“O Paraná está atento à transmissão da variante, considerada de atenção, desde os primeiros casos. Acompanhamos a investigação da rede de contatos dos casos confirmados. Existe uma investigação ampliada há dez dias com a participação de equipes do Ministério da Saúde, do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EpiSUS), que estão pesquisando minuciosamente a rede de contatos dos casos secundários a até terciários dos confirmados”, explicou o secretário de Estado da Saúde do Paraná, Beto Preto.